O que acontece entre (e com) as pessoas quando elas se encontram para reescreverem outras histórias de encontros? Que (não) lugar é este que imaginamos quando desejamos construir narrativas que performam as nossas memórias?

E o que pode surgir quando nos lançamos aos templos das memórias em busca de novas formas de narrar as nossas próprias histórias?

Onde começa e onde termina esta intensa zona de fricção e deslocamento que vai do nosso íntimo às mais longínquas espacialidades?

O que acontece quando as pessoas se encontram?

O que acontece?

O quê?

É a partir destas e outras inquietações que nasce a Diáspora Conecta, território de celebração e reflexão sobre os caminhos que nos conectam.

E nascemos não por acaso na Bahia, lugar de resistência, templo da memória de muitos/as de nós, fronteira de tantos encontros. Foi no coração do Recôncavo Baiano que nos sentimos provocados pela primeira vez a imaginar uma rede colaborativa de profissionais negras e negros de diferentes linguagens artísticas. Uma plataforma criativa capaz de articular e fomentar territórios inovadores por meio de dispositivos multidisciplinares (cursos, labs, encontros), com o intuito de experimentar, capacitar e refletir acerca da produção artística afrodiaspórica.

Criamos então a Diáspora Conecta, que em sua primeira edição realizará atividades nas cidades de Salvador e Cachoeira, na Bahia, abrigando um Laboratório de Desenvolvimento para projetos audiovisuais, o Diáspora Lab; cursos intensivos de capacitação e imersões em criatividade e inovação, a Escola Diáspora; e uma série de seminários com profissionais da cadeia criativa, o Encontros da Diáspora.

Agradecemos aos/às parceiros/as, pessoas físicas e jurídicas, que se somaram numa grande teia colaborativa para lançar ao mundo esta primeira edição da plataforma, que é uma realização da Produtora Portátil e conta com o apoio financeiro do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda.

Te esperamos para celebrar o nosso encontro!